03 dezembro 2008

A Importância da Agência no processo de Criação

Durante longos 11 anos venho trabalhando em uma Produtora de Áudio e Vídeo, que também é uma Agência Publicitária, atuante no mercado há mais de 30 anos, isto na região Centro-Oeste do país: Stylus Propaganda e Consultoria.

http://www.styluspropaganda.com.br


Tenho convivido com os mais diversos profissionais, que com a própria experiência contribuem no processo de desenvolvimento da história da Publicidade Brasileira.Sempre que aparece alguma pessoa nova na área, procuro observá-la e acabo me entrosando, de forma que nossos trabalhos possam se complementar, em beneficio de um resultado satisfatório.
Pois é, me lembro que este pensamento nem sempre foi assim e na verdade, veio sendo moldado com o passar do tempo.
No primeiro ano em que entrei nesta empresa, eu com meus 28 anos ainda tinha muito que aprender (bem mais que hoje) e não me esqueço de um episódio muito interessante, afinal foi muito importante nesta história toda:

Estava numa correria danada pra entregar um comercial e o vídeo já estava previamente editado; alguém da agência havia me passado um briefing, porém eu estava sem uma inspiração adequada praquela peça. Experimenta música, joga fora música, começa outra e nada. Tudo que eu fazia parecia não combinar com a coisa e comecei a entrar em desespero, afinal, era pra agência de publicidade e como bem sabemos tudo precisa ser “pra ontem”.
Nisto, um rapaz que na época trabalhava na área de coordenação da agência era um daqueles "fominhas" em música e sempre que podia, estava lá “sapeando” no estúdio de áudio (aliás, hoje é um grande amigo meu). Foi quando ele assim meio sem jeito disse pra mim:_ ”Olemir porque você não faz uma música assim ó?”... Então cantarolou uma melodia que bem me lembro, era algo bem simples, com um ritmo em 6/8.
Pôxa, foi tiro e queda, fiz a trilha do jeito que ele havia me sugerido e acabou ficando bacana; comercial aprovado, eu com uma gostosa sensação de alívio e o sujeito muito feliz pelo fato de ter me ajudado no estúdio de áudio.


Durante um bom tempo fiquei pensando sobre aquilo: Uma situação que normalmente, por causa da tensão típica do momento, eu não aceitaria qualquer sugestão, afinal estava muito concentrado e qualquer palavra alheia poderia estragar uma idéia criativa. E foi justamente naquela quebra de concentração, juntamente com o talento do jovem ajudante que acabei gerando a música apropriada ao comercial.
Nunca mais deixei de ouvir quem quer que seja ao sugerir “porque você não faz assim ó?” e fico pensando que na verdade, este tipo de “assessoria” deveria ser é paga, e em dinheiro, porém muitas vezes as pessoas dão uma opinião de bom coração, simplesmente por querer participar, dar um palpite, enfim, ajudar na resolução do problema.
Sempre que me chega um comercial novo, procuro ouvir quem criou a idéia, se têm algo mais pra me passar em relação à trilha sonora e também ouço outras pessoas da agência ou da produtora, mesmo que elas não tenham nada a ver com o ramo musical.

Grande abraço a todos.

Um comentário:

Leandro Souza e Silva disse...

Genial! Coincidência ou não, estou pra fazer 28 anos e passei exatamente pela mesma experiência, que mudou minha maneira de encarar as opiniões alheias! Parabéns pelo blog, estou ficando assíduo!