30 março 2009

As opções profissionais para os músicos - Revista Música e Imagem



Acabou de chegar aqui no estúdio a nova edição da revista "Música e Imagem", editado pela Roland (fabricante de instrumentos musicais e equipamentos de áudio).

Nilton Corazza, editor da revista, havia me convidado para escrever uma coluna, e lá está a matéria na pagina 25.




Já havia colaborado com o Nilton na revista Studio, quando escrevi uma coluna sobre trilha sonora por um ano. Essa experiência de escrever sobre a profissão é muito interessante. Obriga a pensar e teorizar o que fazemos muitas vezes por instinto ou porque aprendemos na prática. Diria que aprende-se muito mais do que se ensina.

Mauricio Domene

24 março 2009

Novo game da Garoto, com trilha do Estúdio Next

Está online o novo game da Garoto, para uma promoção de Páscoa, com trilha do Estúdio Next.


www.garoto.com.br

Diferente da maioria das trilhas sonoras de games desse porte, não segui a lógica de musiquinha eletrônica e infantil. Optei por utilizar instrumentos de verdade (baixo e guitarras) para dar mais vida, para criar um som mais orgânico em contraponto ao universo eletrônico da maioria dos games.

Também escolhi um ritmo mais atual, levando em conta o que a garotada anda ouvindo. O fato de ter filhos ajuda a não entrar no preconceito de “fazer musiquinha pra criança”, um erro que muita gente acaba cometendo por não vivenciar o universo infantil. Acaba só repetindo o que já ouviu por aí de música infantil sem se perguntar se ainda é uma referência válida.

Um diferencial na criação de uma trilha para game é que a duração dela não está previamente determinada. A gente nunca sabe quanto tempo ela vai ficar tocando, pois isso depende do andamento do jogo, da habilidade do jogador. Por isso o processo exige uma técnica diferente de criação. A música precisa ter o formato de loop, ou seja, uma música sem fim, onde o final e começo se encaixam perfeitamente. Um jeito diferente de pensar música.

O engraçado é que criar os efeitos sonoros deu muito mais trabalho do que criar a música. A gente acha que é simples,mas quando vê, já gastou mais tempo nos “efeitinhos” do que na trilha mesmo. Por isso é bom cuidar na hora de orçar esse tipo de trabalho, pois é fácil de se enganar na estimativa de tempo gasto.

Toda programação visual do game foi criada pela Mono 3D, uma turma muito talentosa e criativa. Vale a pena conferir o trabalho deles.

Mauricio Domene

13 março 2009

Remix em vídeo

Usar loops (trechos gravados por outras pessoas) numa colagem musical não é nada novo.
Mas fazer isso a partir de vídeo garimpados no youtube, e mais, usar somente material extraido desses vídeos, isso é coisa de genio.

Agora, já seria genial somente conseguir fazer isso. Mas conseguir fazer isso com a qualidade musical como o Kutiman fez... ai não tem mais o que escrever.
Veja:



A música faz parte do projeto Thru-you, e lá dá pra ouvir outras criações dele.

Só pra ter uma dimensão melhor da complexidade do que o Kutiman fez, veja alguns vídeos de onde o material musical foi retirado:

Bateria:
TheHitman1990 (Bernard "Pretty" Purdie clip),


Guitarra:
Free Funk Guitar Lesson Inspired By James Brown


Voz e harmonica
Blues Harp & Vocals from Brian Fox of Brian Fox Reloaded

12 março 2009

Arte a serviço do business

No período em que trabalhei em agência de publicidade (6 anos, como redator) sempre ouvia acalorados debates sobre campanhas artísticas x campanhas que vendem. Precisamos pensar nos números, diziam os clientes. Hardsell, call to action e outros termos do marketês sempre estavam em pauta na hora de criar um anúncio.

Fazer algo bonito, inteligente, artístico e que sirva para a necessidade principal do seu cliente - vender - é algo muito díficil. Por isso, quando alguém acerta a mão, é preciso aplaudir.

Dizer que a PES é uma produtora de vídeos é simplificar muito. PES é um animador/diretor que desenvolveu uma linguagem própria. Daquelas que você vê um trecho é já sabe de quem é. Usando basicamente a técnica de stop-motion, ele criou uma série de curtas que ficaram famosos na internet. Você já deve ter visto aquele em que dois sofás fazem sexo no telhado de um prédio.

Mas a PES não ficou só no campo da arte, e começou a usar o seu talento para a publicidade. Abaixo dois filmes, um curta e um comercial.






Acesse o site e conheça mais.

06 março 2009

Finalmente meu novo portfólio

Depois de muita briga, finalmente consegui terminar a edição do meu novo portfólio de trilhas sonoras.

Agora só falta colocar o novo site no ar :-)




Mauricio Domene

02 março 2009

Conectar-se com Fãs + Motivo para Compra = Novo Modelo de Negócio

Ou em inglês:
Connect With Fans (CwF) + Reason To Buy (RtB) = The Business Model ($$$$)

Uma curta palestra com Michael Masnick (da Techdirt Blog/Floor64) falando sobre como Trent Reznor (do Nine Inch Nails)

Trent brigou com sua gravadora quando ao tentar inovar, deixando pen drives espalhados (escondidos) nos banheiros dos shows com músicas inéditas para que os fãs encontrassem e, obviamente, compartilhassem com outros, foi censurado por sua atitude. Gravadora e outros urubus acharam um absurdo ele fazer isso.

Isso foi em 2007

Em 2008, já fora de uma gravadora, inovou de vez, dando de graça a música que os fãs queriam, mas de forma tão engenhosa que conseguiu lucrar com isso, criando valor para o que tinha para vender. Não só isso, mas o fez de tal modo que seu disco (com as músicas que tinha dado de graça) foi o album que mais vendeu downloads na Amazon durante o ano passado.

Quer entender como é essa loucura?

Veja o vídeo: