13 dezembro 2010

Rei do Baião completaria 98 anos hoje

Luíz Gonzaga do Nascimento nasceu em 13 de dezembro de 1912, em Exu, Pernambuco. Desde pequeno aprendeu a tocar sanfona. Aos 8 anos, substituiu um sanfoneiro em uma festa tradicional da fazenda onde viva e recebeu seu primeiro cachê.

Luiz Gonzaga conseguiu comprar sua primeira sanfona aos 13 anos com dinheiro emprestado pelo pai. Quando terminou de pagar o empréstimo, disse ao pai que não trabalharia mais para ele: seria sanfoneiro profissional.

Era 1929, e Gonzagão conheceu Nazarena, moça de família rica. Eles começaram a namorar às escondidas porque o pai da moça não gostou do rapaz. Num dia de festa na cidade, depois de beber um pouco, Gonzagão foi tirar satisfação com o ex-futuro sogro armado de uma faquinha. Apanhou muito, teve que fugir para outra cidade e também que vender sua sanfona.

Então, Luiz Gonzaga fugiu de casa e, para conseguir ingressar na carreira militar, mentiu a idade. Na Revolução de 1930, era o soldado Nascimento, que seguia em missão por todo o Brasil. Naquela época, seu pai conseguiu comprar de volta a sanfona vendida.

Nas andanças pelo país, quando passou por Juiz de Fora, em Minas Gerais, Gonzagão aprendeu a tocar sanfona de 120 baixos com um soldado chamado Domingos Ambrósio. Foi por Ambrosio que Luiz Gonzaga foi apresentado a ritmos do sul do Brasil e também valsa e outras coisas!

Em 1939, pediu baixa do serviço militar e iniciou sua carreira artística. Naquele ano, fez sua primeira apresentação em um palco, no Cabaré O Tabu, na Rua Mem de Sá, no Rio de Janeiro.

No ano seguinte, enquanto tocava em uma casa de shows no Mangue, foi desafiado por um grupo de estudantes nordestinos a tocar algo que os lembrasse sua terra. Ali Gonzagão compôs “Pé de Serra” e “Vira e Mexe”. Com estas duas canções, foi aplaudido não só pelo grupo, mas também por todos os que o ouviram tocar.

Em 1941, assinou contrato com uma gravadora pela qual gravou vários álbuns. Em 1942, o sanfoneiro fez um sucesso estrondoso nas rádios do país. Em 1944, despedido da Rádio Tamoio, foi contratado pela Rádio Nacional, ambas do Rio de Janeiro, e ficou conhecido pelo apelido de ”Lua”. Em 1945, gravou o primeiro disco no qual tocava e cantava.

Em 1946, Luíz “Lua” Gonzaga gravou “No Meu Pé de Serra”, em parceria com Humberto Teixeira, e seu nome ganhou fama mundial. Este também foi o ano de seu regresso a Exu.

Em 1947, gravou “Asa Branca”, que fez parte da trilha do filme “Romance Carioca” (“Nancy Goes To Rio”). Esta foi a primeira de muitas gravações para a RCA Victor, cujas 17 prensas trabalhariam exclusivamente para ele.

Em 1950, Gonzaga ganhou o título de Rei do Baião, após uma apresentação em São Paulo. Um ano depois, um acidente automobilístico motivou a composição de “Baião da Penha”.

Com a força crescente da bossa nova e do rock’n’roll, Gonzagão passou algum tempo longe da mídia.

Gonzagão deixou a RCA Victor em 1973 para assinar contrato com a Odeon. Naquele mesmo ano, foi chamado de volta a Exu pelo governador de Pernambuco, Eraldo Gueiros de Leite, para tentar acalmar a cidade, palco de brigas entre família tradicionais da região.

Em 1980, O Rei do Baião cantou para o Papa João Paulo II em Fortaleza; e, em 1982, apresentou-se no teatro Bobinot, em Paris. Ele voltaria para a França em 1986 para apresentar-se no Halle de La Villete.

No dia 6 de junho de 1989, Luíz Gonzaga subiu pela última vez ao palco, e fez um discurso dizendo: “Quero ser lembrado como o sanfoneiro que amou e cantou muito o seu povo, o sertão, que cantou as aves, os animais, os padres, os cangaceiros, os retirantes, os valentes, os covardes, o amor...”.

No dia 21 de junho , Gonzagão foi internado na UTI do Hospital Santa Joana, em Pernambuco, onde ficaria por quarenta e dois dias. Nos momentos mais difíceis, Luiz Gonzaga cantava suas antigas canções.

Complicações advindas de uma pneumonia levaram o Rei do Baião, no dia 02 de agosto de 1989, aos 76 anos. Ao seu lado estava seu último grande amor, Dna. Edelzuita. Gonzagão foi sepultado em sua cidade natal.

Texto: Marina Gialluca






Esses outros 2 vídeos não podem ser postados diretamente aqui (restrições do usuário). Mas merecem ser vistos.

Festival da Canção de 1980. Gonzaguinha (filho do Luiz Gonzaga) chama ao palco seu pai para cantar, e é recebido calorosamente por um Maracanazinho lotado:

http://www.youtube.com/watch?v=yVE6Znv_jDg

E como não poderia faltar, Asa Branca, com Luiz Gonzaga dividindo o palco com Fagner, Osvaldinho do Acordeon, Dominguinhos, Sivuca e Guadalupe:

http://www.youtube.com/watch?v=s8VqC_Vjsm0

Nenhum comentário: